Terapia da Fala

Casos

Clínicos

Horários

Terap. Carina Neves

Segundo o Comité Permanente de Ligação dos Terapeutas da Fala da União Europeia (CPLOL), 2003, o Terapeuta da Fala é o profissional responsável pela comunicação, linguagem e tratamento de todas as desordens do discurso, voz, fala e escrita independentemente da etiologia; na criança, adolescente, adulto e idoso.

É o responsável pela prevenção, avaliação, diagnóstico, tratamento e estudo científico da comunicação humana e perturbações relacionadas ao nível da fala e da linguagem bem como alterações relacionadas com a função auditiva, visual, cognitiva (incluindo aprendizagem), oro-muscular, respiração, deglutição e voz. Neste contexto, a comunicação engloba todas as funções associadas à compreensão e expressão da linguagem oral e escrita, assim como todas as formas apropriadas de comunicação não verbal (Dec. Lei nº564 de 21/12/1999)

 

 

 

Âmbito de intervenção do Terapeuta da Fala:

 

 Perturbações da Articulação Verbal/Oral

 Perturbações da Fluência

 Alterações da Voz

 Alterações da Linguagem Oral (compreensão e expressão)

 Alterações da Linguagem e Escrita

 Alterações que afetem o Raciocínio Lógico e Matemático

 Prevenção de Perturbações da Comunicação e Linguagem e despiste no sentido da intervenção precoce

 Ensino da leitura labial para portadores de deficiência auditiva

 Alterações da Mastigação

 Alterações da Deglutição

 Utilizar técnicas específicas de tratamento, entre os quais, o uso de Sistemas Alternativos e/ou Aumentativos de Comunicação, bem como o estudo e utilização de meios e dispositivos de compensação necessários – Tecnologias de Apoio

 

 

Quando procurar um Terapeuta da Fala?

 Sinais de Alerta

 

 Aos 6 meses não reage à estimulação sonora,

 Aos 6 meses não sorri e não estabelece contato ocular,

 Entre os 6 e os 12 meses deixa de reagir ao nome e aos sons familiares e deixa de produzir sons,

 Entre os 12 e os 18 meses não usa palavras isoladas,

 Entre os 12 e os 18 meses não reage olhando ou sorrindo quando brincam com ele,

 Entre 18 meses e os 24 meses não compreende instruções simples,

 Entre os 18 e os 24 meses apenas tem um repertório vocabular entre 4/6 palavras,

 Entre os 24 e os 36 meses (2-3 anos) não combina duas palavras para formar frases (por exemplo, dá carro),

 Entre os 36 e os 48 meses (3-4 anos) utiliza um discurso que não é compreendido por todos,

 Entre os 36 e os 48 meses usar mais gestos do que palavras para dizer o que quer,

 Entre os 48-60 meses (4-5 anos) omitir e trocar sons nas palavras (por exemplo, não diz o /z/, troca o /t/ por /k/ ou vice-versa, não diz o /l/),

 Entre os 60-72 meses (5-6 anos) utiliza frases mal estruturadas,

 Entre os 60-72 meses diz palavras mal pronunciadas,

 Entre os 60-72 meses ter um discurso sem conteúdo,

 Entre os 60-72 meses ter dificuldade em iniciar uma frase, repetir sílabas e palavras (gaguez),

(Autoras Ana Cristina Rebelo, Ana Pula Vital)

 

 Entre os 6 os 10 anos apresenta dificuldades em associar o fonema (som) ao grafema (letra),

 Entre os 6 e os 10 anos apresenta dificuldade em ler palavras monossilábicas e realizar a segmentação silábica,

 Entre os 6 e os 10 anos apresenta dificuldade em reter informação através da leitura e escrita e adquire melhor se lhe for explicado oralmente,

  Entre os 6 e os 10 anos a sua expressão verbal/oral é pobre e apresenta dificuldade em adquirir novas palavras/conceitos,

 Entre os 6 e os 10 anos apresenta tendência para escrever os números e letras em espelho (direção e orientação inadequadas),

 Entre os 6 e os 10 anos comete muitos erros ortográficos, tanto em palavras de associação fonema-grafema simples (por exemplo, porta, saco) como de associação fonema-grafema irregular (por exemplo, casa, girafa),

 Entre os 6 e os 10 anos apresenta dificuldade em reter sequencias (dias da semana, meses do ano, etc),

 Entre os 6 e os 10 anos apresenta falta de atenção e concentração,

 Entre os 6 e os 10 anos recusa ou insiste em adiar as tarefas de leitura e escrita,

 Entre os 10 e os 12 anos persistem os erros de leitura (leitura, lenta, silaba, monótona e/ou hesitante),

 Entre os 10 e os 12 anos apresenta dificuldade na leitura e interpretação de problemas matemáticos ou de perguntas de interpretação,

 Entre os 10 e os 12 anos apresenta dificuldade na compreensão do material escrito,

 Entre os 10 e os 12 anos ocorre a omissão de letras ou a inversão da ordem das letras na palavra, tanto na leitura como na escrita,

 Entre os 10 e os 12 anos apresenta erros ortográficos na cópia,

 Entre os 10 e os 12 anos apresenta dificuldade na compreensão oral e escrita.

 

 Adolescentes e Adultos que sofreram um AVC (acidente vascular cerebral, ou  TCE (traumatismo craneoencefálico) ou que apresentem doenças degenerativas e que tem dificuldades para comunicar, falar e comer (mastigar e engolir).

Marcação de Consultas

Submitting Form...

The server encountered an error.

Form received.